quarta-feira, 9 de junho de 2021

Tempo de Esmeraldas...


Para um garimpeiro encontrar esmeraldas é preciso ter paciência, às vezes faz-se necessário perfurar a rocha por dias, meses e até anos. Tem momentos que o trabalho exige um pouco mais de força e aí o trabalhador tem que utilizar métodos mais agressivos como implodir com dinamites. Em outras situações é necessário usar de delicadeza manusear ferramentas mais leves, bater com cuidado na rocha para evitar deslizamentos e quedas. O importante é que o garimpeiro, mesmo que tenha que mudar de rota, cavar outro caminho na rocha, ele jamais desiste porque seu objetivo é encontrar o tesouro.

Nossa paróquia São Geraldo Magela, há quarenta anos – bodas de esmeraldas – vem descobrindo tesouros, na verdade, são minas valiosas cheias de muitas pedras preciosas. A primogênita das pedras preciosas é a comunidade Santo Antônio, o santo que atrai tantos e tantos devotos e que a cada ano em sua trezena congrega diversos fiéis. Ah, Santo Antônio, esmeralda fiel dessa mina, Rogai por nós! E a partir dessa descoberta vieram todas as outras. O que não nos falta são esmeraldas! As comunidades rurais Santo Antônio Primor, São Marcos, São Calixto e Nossa Senhora Aparecida, quantos tesouros escondidos e que se revelam a cada ano; Esmeraldas de grande quilate! Povo fiel, provado no calor da mina, povo que sabe tomar a ferramenta a mão, cavar e desbravar o veio da terra na busca de seu dom maior.

Parece que somos ricos, porém somos milionários! Possuímos esmeraldas de todos os tons, são verdes cheias de fé e esperança, esmeraldas preciosas aos olhos do Pai. A comunidade São Sebastião, tão parecida com seu padroeiro, não negam a fé, um povo entusiasmado pela Palavra, é preciso evangelizar, apresentar o verdadeiro tesouro para aqueles que não fazem parte da mina. E, como a voz que clama no deserto temos a comunidade São João Batista, tesouro em cima do monte, visível para que outros se acheguem, porta a beira do caminho. Lá encontramos o Batista a apontar o caminho para a mina – Jesus é o grande tesouro. E, no meio de tantas esmeraldas, aparece aquela que nos protege e nos ensina a enxergar além, comunidade Santa Luzia, sua padroeira, mulher de fé e coragem, quantos ensinamentos podemos tirar olhando em seus olhos, pedras preciosas ofertadas a Deus.

E os tesouros da comunidade São José! Quanta riqueza na simplicidade de um povo! Povo alegre, firme, com um sorriso largo na face, sorriso de quem é rico por dentro, ricos do amor de Deus. A nossa caçulinha, comunidade Nossa Senhora de Fátima, lá em cima do monte, lugar do encontro com Deus, espaço para achar esmeraldas. Ó, Mãezinha, rogai por nós que recorremos a vós.

E a nossa matriz, a mãe de todas, a esmeralda maior. Surgiu pequena e tímida, há quarenta anos, e hoje, tempo de maturidade faz-se majestosa. Foi preciso garimpar muito para desvelar os tesouros. Quanta luta travamos nessa mina! Tantos padres que fizeram-se garimpeiros para encontrar tesouros. Precisaram exercer a arte do pastoreio para permitir que as ovelhas amadurecessem. É assim que se descobrem tesouros, na lida, na luta, na fé. A comunidade São Geraldo Magela, a matriz e mãe, que com olhos e coração atento acolhe seus filhos com calor e amizade, como uma mãe carinhosa nos apontando sempre em direção ao céu.

Não é por acaso que celebramos quarenta anos no domingo da Santíssima Trindade! Uma paróquia de verdade só é uma esmeralda lapidada, transparente e valiosa se for regida pelo Pai, no Filho e sobre as asas do Espírito Santo. Parabéns a você paroquiano, sinta-se como uma esmeralda dentro dessa mina que se chama Paróquia São Geraldo Magela. Somos todos valiosos, tesouros inestimáveis para Deus.

Cidinha Medeiros

RCC - Paróquia São Geraldo Magela


sábado, 12 de dezembro de 2020

História e vida de Santa Luzia

Hoje dia 13 de Dezembro a igreja celebra além do terceiro domingo do Advento, a solenidade de Santa Luzia, padroeira e protetora de nossos olhos.

Luzia nasceu em Siracusa, cidade da Itália. Era uma jovem linda. Conta-se que seus olhos eram tão lindos que encantavam a todos. Seu nome significava “aquela que ilumina”.Viveu na época do tirano, Imperador Dioclesiano.  Aquela época, a lei proibia as pessoas de serem cristãs. De família nobre e cristã, muito prendada, desde cedo decidiu consagrar sua vida ao Senhor, e assim fez votos de virgindade perpétua.Após a morte do pai, sua mãe a prometeu em casamento a um jovem nobre, porém pagão

        Conta-se que um dia Luzia foi à cidade de Catana, para visitar o túmulo de Santa Águeda. A mãe foi com ela. Fizeram esta romaria para pedir a cura da mãe que sofria de uma hemorragia. Junto ao túmulo de Santa Águeda, Luzia rezava pela cura de sua mãe. E aí, a Santa lhe apareceu e a consolou dizendo: “Luzia Virgem, porque me pedes aquilo que Tu mesma podes dar a tua mãe? Tua fé salvará sua mãe. É por tua fé que ela ficara boa. E pela tua virgindade preparastes para Deus uma grandiosa habitação”.

A mãe de Luzia realmente ficou curada.Quando mãe e filha, depois da romaria chegaram em casa, Luzia pediu dois favores a mãe. O primeiro era permitir que não se casasse, porque queria ficar virgem para consagrar sua vida a Cristo e aos mais humildes irmãos de Jesus. O segundo era permitir que recebesse já os bens que lhe cabiam como dote de casamento, para vendê-los e distribuir entre os pobres. A Mãe consentiu, e sendo uma fervorosa dama cristã,segundo se afirma, recebeu como a filha a palma do martírio.



Santa Luzia Rogai por nós!!!!!!!


         De fato Luzia era de família rica, desprendeu-se de suas riquezas e com ela foi ajudar os pobres. Seu noivo, sabendo porém que Luzia resolvera nunca se casar, ficou desiludido e com muita raiva também. Como o jovem era pagão, descobriu logo um jeito de se vingar. Correu ao governador da cidade e denunciou Luzia, acusando-a de ser cristã. O governador mandou seus soldados à casa de Luzia, e estes prenderam a jovem. Ela foi levada a julgamento. Dioclesiano perguntou a Luzia se era verdade que ela era cristã. A jovem respondeu com firmeza que era verdade. O governador, impressionado com a beleza e juventude de Luzia, tentou primeiro com palavras bonitas e promessas sedutoras, abalar a fé da jovem. Exigiu que Luzia adorasse a falsos deuses, ela porém respondeu:

“Adoro somente meu único Deus e Senhor e a Ele prometi fidelidade e amor”.

O governador, então, perdendo a paciência, e vendo que com palavras brandas não ia conseguir nada, passou a fazer ameaças.

Disse ele a Luzia: “A tua coragem e as tuas palavras desaparecerão quando chegar a hora das torturas”. O homem estava furioso. Mas Luzia, sem perder a calma, e sem mostrar medo algum, respondeu: “Senhor governador, aos servos de Deus não faltarão palavras, pois Cristo Senhor nos disse: quando estiverdes diante dos reis e governadores, não vos preocupeis com o que haveis de dizer, pois não sois vós que então falareis, mas o Espírito Santo”.

    Assim Luzia responde ao governador com as palavras que o próprio Jesus falou para o conforto e edificação de seus fiéis discípulos. Luzia conhecia a Sagrada Escritura e confiava na palavra de Cristo, a Palavra de Deus.

Então, o governador lhe perguntou zombando: Ah! Sim, você tem um Espírito Santo, não é?

Santa Luzia , sempre conhecedora da Sagrada Escritura, lembra-se das palavras de São Paulo e responde:

“Sim, os que vivem casta e piedosamente são templo do Espírito Santo”.

Depois destas palavras de Santa Luzia o governador ficou mais furioso ainda e zombando disse: “Vou mandar você para uma casa de perdição e aí quero ver se o Espírito Santo ainda quer ficar em você”’

A corajosa Virgem, porém, respondeu sem temor: “Se tu mandares que assim seja feito contra minha vontade, a minha castidade terá dupla coroa”’

Esgotada a paciência do governador, este manda que Luzia fosse levada a uma casa de perdição. Os soldados pediram que Luzia fosse andando. Ela, porém, não se moveu. Ficou no lugar onde estava. Os soldados então recorreram a empurrões, puxões, e até a socos. Mesmo assim, a jovem cristã não se movia. Os soldados então, amarraram Luzia a uma corda e com toda força tentaram puxá-la e arrastá-la. E, aí interveio a força Divina vencendo a força violenta e bruta dos inimigos de Deus. Nenhuma tentativa da parte dos guardas, conseguiram mover Luzia. Ela ficou no mesmo lugar, inabalável. Deus não permitiu que a castidade de sua Virgem fiel sofresse algum dano.

O governador então, mandou que em volta dela fosse jogado, resina e óleo, e que se botasse fogo em tudo isso. Quando esse material inflamável pegou fogo, Cristo mostrou mais uma vez o seu poder. As chamas envolviam a Luzia mas não a tocavam. Cristo não permitiu que as chamas danificassem o corpo virginal da jovem Cristã.

Novamente Jesus demonstrou que Ele é o Rei que ajuda a gente no meio dos perigos.

O governador ficava cada vez mais furioso, e ao mesmo tempo envergonhado: não conseguindo vencer a resistência de uma frágil jovem.

Recorreu, então a toda sorte de torturas. Eram torturas horríveis. Luzia sofria terrivelmente. Mas o governador não conseguia abalar a sua fé.

Esgotados todos os meios violentos e bárbaros, acabada também a paciência do pagão, o governador mandou que Luzia fosse degolada. E assim morreu mais uma mártir!

Sua fé a salvou. Agora está gloriosa no céu .

Antes de receber o golpe mortal, Luzia, diante do governador pagão, perseguido da Igreja de Cristo e diante de uma multidão de gente fez uma profecia.

Anunciou a toda gente que logo viria o tempo que a igreja de Cristo encontraria a tranqüilidade e a liberdade. Ser Cristão não mais seria crime.

Santa Luzia fez este anúncio no ano de 304. Nove anos depois, o imperador romano, filho de Santa Helena, tornou-se cristão e deu liberdade a Igreja de Cristo e o paganismo com seus falsos deuses, foi desaparecendo.

Depois que Luzia fora morta, os cristãos enterraram seu corpo na sua cidade natal Siracusa. Mais tarde foi transferido para a cidade de Constantinopla, para que suas relíquias fossem preservadas.

Atualmente, os restos mortais de Santa Luzia repousam em Veneza, Itália.

     Uma lenda, conta-se que Luzia arrancou seus próprios olhos, colocou-os em uma bandeja e os entregou ao noivo, que tinha antes fascinado pela beleza deles, mas em vez de ficar cega, no mesmo instante surgiram outros mais belos ainda. Verdade ou não ,todos a consideram como a Virgem protetora dos olhos e da vista.

   Os milagres atribuídos à sua intercessão a transformaram numa das santas auxiliadoras da população, que a invocam, principalmente, nas orações para obter cura nas doenças dos olhos ou da cegueira.

     A arte perpetuou seu ato extremo de fidelidade cristã através da pintura e da literatura. Foi enaltecida pelo magnífico escritor Dante Alighieri, na obra "A Divina Comédia", que atribuiu a santa Luzia a função da graça iluminadora. Assim, essa tradição se espalhou através dos séculos, ganhando o mundo inteiro, permanecendo até hoje.


Santa Luzia é comemorada no dia 13 de dezembro.

E a Paróquia São Geraldo Magela de Bom Jesus do Norte, possui entre suas comunidades uma que é dedicada à Santa Luzia!!!!

Santa Luzia! Rogai por nós!!!!!


sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Festa do Padroeiro São Geraldo 2020

   O ano de 2020 foi atípico em função da pandemia do Corona Vírus, e a festa do nosso querido padroeiro São Geraldo Magela, não seria diferente. Com número limitado de fiéis na Igreja, cumpridos todos os protocolos de segurança determinados pelas autoridades da saúde,a comemoração iniciou com o terço de São Geraldo, conduzida pelo Jorley, Laura e Cidinha, em seguida, a missa celebrada pelo nosso pároco Padre Paulo Sergio Mourão e transmitida pelas redes sociais da paróquia, Facebook e YouTube. O padre Vicente, da paróquia Senhor Bom Jesus, veio concelebrar a missa da festa de São Geraldo, como faz todos os anos. Após a missa, a imagem de São Geraldo percorreu algumas ruas da cidade, numa redoma improvisada no alto  de um automóvel.


el




























































quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Nono dia da Novena de São Geraldo Magela 2020


O nono dia da Novena de São Geraldo Magela 2020, observados os protocolos de segurança, iniciou com a reza do terço de São Geraldo, conduzida pelo Jorley e pela Laura. Em seguida a celebração da missa de encerramento da Novena, presidida pelo padre Joel de Jesus, da Paróquia São José, de São José do Calçado/ES e, concelebrada pelo nosso pároco padre Paulo Sergio Mourão.